Estou perdido, mas sei que alguma coisa me levou nesse local, quem sabe algum dia eu entenda. É como se alguém falasse, – Anda, levanta essa bunda do sofá e vai, eu vou te guiar. Uma energia impulsionadora me fez sair sem rumo, sozinho e consequentemente mais perdido, mas com o sentimento de estar no […]

Estou perdido, mas sei que alguma coisa me levou nesse local, quem sabe algum dia eu entenda. É como se alguém falasse, – Anda, levanta essa bunda do sofá e vai, eu vou te guiar. Uma energia impulsionadora me fez sair sem rumo, sozinho e consequentemente mais perdido, mas com o sentimento de estar no caminho ou tentando encontrá-lo. 
Geralmente quando tiro uma foto, a imagem diz muito sobre o que eu estava sentindo naquele momento, é como se fosse um símbolo daquela etapa de minha vida. Mas essa é diferente, tentei “criar” ou “encontrar” um significado, e ainda não consegui.

Talvez estar perdido faça parte da vida, acordar feliz e dormir triste. Sentir-se forte e vencedor, e logo depois frágil e volátil. Acreditar no amor e não querer sentir dor. Para os que são essencialmente estáveis e monótono com suas emoções, eu tiro meu chapéu, pois – talvez eu também queira ser assim. 
Quem sabe a compreenção possa ser essa mesma, que estar perdido e sem rumo com suas emoções, no seu dia-a-dia e com sua vida, seja só a etapa anterior à descoberta do seu caminho. E simplesmente deseje que ele seja bom e próspero.

Não julgo se minhas fotos são boas ou não, eu só tento mostrar para mim mesmo algum sentido essencial de qualquer coisa que seja, se fizer bem para alguém já estou feliz.

Dois cachorros e um homem de bicicleta passando por esse posto abandonado, no falso reflexo de um segundo da existência de nossas vidas. Foto e Texto: @vitor.cherulli

Abaixo mais 3 fotos tiradas no mesmo dia.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *