Cachoeira do Rio Bonito – Tupaciguara, MG

Domingo, 21/06/2015 e lá fomos nós para mais uma aventura!
Nosso destino foi a cachoeira do Rio Bonito em Tupaciguara, Minas Gerais.
Essa cachoeira é uma das mais altas e mais bonitas da região. São cerca de 90 metros de altura e muita lindeza para se ver.
Do centro de Uberlândia até o local são aproximadamente 80 Km.
O acesso à parte alta da cachoeira é bem fácil, pois a mesma se localiza à poucos metros da rodovia. Quanto à parte baixa, já não é tão fácil assim, a trilha é de nível médio e exige um esforço considerável da parte dos trilheiros.

Linda e exuberante. (Foto – Aerivaldo Ferreira)

O dia estava lindo! Mais uma vez o sol brilhou sem modéstia alguma e nos aqueceu depois de alguns banhos naquela água gelada e deliciosa. Rsrsrs
Pensa numa galera divertida e animada e depois multiplica por dez. hahahaha Estar com pessoas assim definitivamente faz o dia ser ainda melhor.
Fazendo uma breve retrospectiva: cachoeira linda, muito sol, galera animada e um dia todo para curtir e nos aventurar. Vish, tudo simplesmente perfeito!!!
Paisagens de encantar os olhos. (Foto – Aerivaldo Ferreira)

Eu amo esse tipo de evento por vários motivos e gosto de falar um pouco sobre eles.
Além das experiências pessoais que levo depois de um dia assim, também gosto de observar as pessoas e ver como cada uma reage diante de algo desafiador.
Indiscutivelmente é um desafio e tanto fazer rapel numa cachoeira de 90 metros em pleno inverno, mas a forma com que cada um encara esse momento é distinta e muito pessoal.
Costumo dizer que saímos dali com a percepção de que somos mais fortes e que podemos encarar nossos desafios diários com mais firmeza e destreza. Certamente é um passo à frente na nossa caminhada de superação e aprendizado constante.
Ahhhh, e não posso deixar de mencionar as amizades e parcerias que firmamos em dias assim. o círculo de amizades se expande e acabamos conhecendo pessoas com histórias de vida e superação bem parecidas com a nossa.


Essa é minha amiga Angela, ela viaja cerca de 500 km uma vez por mês para se aventurar aqui no Triângulo mineiro.

Particularmente acho essa cachoeira perfeita para rapelar, pois além da altura ser desafiadora ela possui positivo (paredão), negativo (o vão onde os pés ficam sem apoio e é possível inverter (fazer rapel de cabeça para baixo)) e um platô maravilhoso onde dá para parar e se encantar com a paisagem linda do lugar.


Pronta para descer. (Foto – Aerivaldo Ferreira)

Eu sempre vou para o mato de coração aberto e disposta a transpor meus limites. É quase certo que saio de casa com o peso de algumas preocupações, mas volto de alma lavada, mente tranquila e com o coração leve.
Chega ser indescritível as sensações maravilhosas que tenho quando entro em contato com a natureza.
Só consigo dizer que meu coração transborda de alegria e gratidão!!!!


Amo muitooooo tudo isso. (Foto – Aerivaldo Ferreira)

Sei que algumas pessoas não compreendem esse amor e essa paixão que descrevo. Mas há algum tempo parei de correr atrás da compreensão alheia e concentrei minhas energias em compreender a mim mesma.
Não dá para entender algo que você não conhece e se recusa experimentar. É impossível descobrir o que te faz feliz se nunca está disposto “ouvir” o que “diz” seu coração.
Eu sinto uma paz profunda e ao mesmo tempo uma alegria inenarrável! Me sinto viva e com disposição para encarar qualquer desafio que a vida propor.
Somos bem pequenos diante da grandeza da mãe natureza. (Foto – Aerivaldo Ferreira)

As vezes penso como eu estaria se tivesse dado ouvidos as pessoas que me chamaram de louca quando resolvi mudar alguns hábitos na minha vida… Leia também Metamorfose.
Cada dia mais tenho visto quão grande é o bem que essas mudanças tem me feito e desejo profundamente que elas prossigam para que eu continue crescendo como pessoa e me conhecendo cada dia mais.
Nunca me canso de observar. (Foto – Angela de Oliveira)

Na manhã seguinte acordei sentindo algumas dores nas pernas e quando me lembrei do motivo delas, espontaneamente um largo sorriso se abriu nos meus lábios. Rsrsrsrs É que pulei muitooooo depois que saía do platô. Cantarolava uma música e pulava ao ritmo dela até chegar bem próximo à queda d’água. Tive a impressão que aquela água gelada refrescou meus pensamentos e “de quebra” lavou minha alma.


Testando a flexibilidade. Yupeeeeee!!! (Foto – Aerivaldo Ferreira)

Encerro esse relato te convidando a fazer algo novo e sair da rotina. Descubra o que te deixa leve e faz seu coração dar pulinhos de alegria e se joga!!!
A vida é muito breve e incrivelmente bela para passarmos por ela como meros sobreviventes.

Beijoooos e até breve!


Foto – Angela de Oliveira.


Linda e imponente. (Foto – Angela de Oliveira)


Trilha ótima para exercitar as pernas. (Foto – Angela de Oliveira)

Apaixonado por viagens e aventuras, idealizador do projeto 360go.

Comentários