O Parque Terra Ronca atrai de turista loucos em aventuras a arqueólogos. Por isso vamos mostrar algumas delas para vocês.

Já ouviu falar em São Domingos? Uma cidade que possui a entrada para uma área cheia de cavernas e grutas: o Parque Estadual de Terra Ronca. A região possui cerca de mil grutas, com apenas trezentas mapeadas e somente quarenta e nove abertas para visitantes, número que diminui ao se tratar de visitação turística.

Terra Ronca – Foto: Pablo de Sousa/Dedoc Abril/Dedoc Abril

O Parque Terra Ronca atrai turistas que buscam aventuras, além de arqueólogos e pesquisadores. Para visitar todas as grutas, é necessário alguns dias e muita disposição, pois algumas são de difícil acesso.

Como chegar

O Parque fica exatamente a 641 km de Goiânia e 400 km de Brasília, entre as cidades Guarani e São Domingos, fazendo divisa com a Bahia. Portanto, para chegar até a cidade uma opção é ir pela BR 020 até o trevo de São Domingos, depois, saia da BR e ande 26 km até a cidade. A rota é facilmente encontrada no Google Maps.

Terra Ronca I

Terra Ronca I Entrada – Foto: William Oliveira

Contudo, por serem as visitas às grutas e carvernas um tanto cansativas, os guias sempre optam por ajustar o cronograma da seguinte forma: grutas no período da manhã e cachoeiras no fim do dia, para descansar.

Booking.com

Terra Ronca I é a gruta mais conhecida da região, que tem uma característica única, difícil de não ser percebida: sua grandiosa entrada com 96 metros de altura e 120 de largura. Essa gruta possui salões com até 90 metros de altura. Nessa gruta é realizada a Festa do Bom Jesus da Lapa, sempre no dia 6 de agosto.

Terra Ronca I lado de dentro – Foto: William Oliveira

Gruta Angélica

Salão do Espelhos – Foto: Marcelo Pelegrino

A gruta Angélica é de fácil acesso e um cenário magnífico de um rio que corre em seu interior, tão calmo que forma um espelho dentro da caverna. Ela não é aconselhada para pessoas que têm problemas com lugares fechados, pois em alguns trechos as passagens têm tetos muito baixos.

A gruta São Bernardo exige um pouco mais de esforço e coragem, a sua entrada é um pouco íngreme e a maioria do seu percurso é feito dentro da água gelada que chega a altura do peito e num terreno rochoso. Mas esse esforço vale a pena pois a visão dos salões, como o das Pérolas, com pedras brancas caindo do teto da caverna, é única.

Dentre os inúmeros salões, o que mais se destaca é o Salão dos Canudos que possui milhares de estalactites da grossura de um canudo que compõe um cenário indescritível.

Gruta Angélica – Foto: Badini/ Reprodução

Gruta São Bernardo

Gruta São Bernardo – Foto: Eduardo Vessoni

Lembrem-se: “Todos os passeios devem ser feitos com a ajuda de um guia, pois eles sabem os locais seguros pelo quais devem passar.”

Dica:

Em razão da cidade ser pequena poderá ter dificuldades em encontrar muitas coisas, então, se você é aventureiro de primeira viagem siga as dicas de como se preparar. Na cidade não existem lanchonetes, farmácias e nem caixa eletrônico, então, leve dinheiro em espécie.

  • Remédios de uso regular
  • Kit primeiros socorros
  • Objetosde uso pessoal
  • Alimentos nutritivos para trilhas (cereais, castanhas, frutas, etc)
  • Protetor solar
  • Repelente corporal
  • Repelente de tomada com refil para o quarto
  • Tênis ou botas trekking (não tente explorar cavernas de sandálias)
  • Calça de nylon ou taktel
  • Meias altas e grossas
  • Shorts e roupa de banho
  • Boné ou chapéu
  • Lanterna (de cabeça de preferência para os capacetes) e pilhas novas 
  • Cantil ou garrafinha
  • Blusa de frio

Quer ver mais conteúdo sobre cavernas e cachoeiras? Não deixe de conferir a matéria sobre Bonito – MS e Chapada Diamantina e suas incríveis atrações.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *